Tour pelo mar Morto e o deserto de Israel
paulinhobasile 14 de maio de 2020

Em setembro de 2019, final do verão europeu, sai de Dublin onde moro (e cujo verão é quase inexistente), fiz uma mochila com muitas regatas e protetor solar e embarquei em uma das viagens mais exóticas que já fiz. O plano estava já traçado na minha cabeça: fazer um tour pelo mar Morto e o deserto de Israel.

tour pelo mar morto

Logo ao descer em Tel-Aviv, percebi que o clima do local não é tão era tão tranquilo, e não estou falando dos 33 graus que estavam lá (diante dos 10 que deixei para trás na Irlanda. O clima a que me refiro é a tensão das filas gigantescas na imigração, com passageiros sendo questionados nos mais íntimos detalhes porque eles estariam entrando em Israel, enquanto militares rodeavam o local segurando metralhadoras bastante intimidadoras. Percebi depois que isso era bastante corriqueiro nos aeroporto do país.

No tumultuado desembarque em Israel, ao invés de receber carimbo no passaporte, a imigração te dá um selo
No tumultuado desembarque em Israel, ao invés de receber carimbo no passaporte, a imigração te dá um selo

Depois de explicar onde eu iria ficar hospedado, quantos dias duraria minha viagem e quais planos tinha feito para o local, o fiscal da imigração me deixou passar. Ao invés de dar um carimbo no passaporte, a imigração israelense fornece um selo, com foto e dados pessoais, que deve ficar em posse do viajante todos os momentos, e ser mostrada na saída do país.

Fiquei hospedado no Abraham’s Hostel, um hostel de estrutura gigantesca, com 350 camas e áreas de lazer confortáveis e espaçosas. E, além de acomodação, o hostel também contava com a Abraham’s Tours, braço da empresa destinado a viagens. Para o dia seguinte à minha chegada, comprei o tour que eu estava há meses empolgado em fazer, pelo mar morto e o deserto de Israel.

Abrahams Tour: Massada, Ein Gedi e Mar Morto
Abrahams Tour: Massada, Ein Gedi e Mar Morto

O tour começa num hiking ao amanhecer pelas montanhas de Massada, depois faz uma visita à reserva natural de Ein Gedi que fica no meio do deserto e é finalizado com um banho relaxante (e bem salgado) no Mar Morto.

Fiz um vídeo desta aventura em meu Canal no Youtube (já segue ele lá?), assistam abaixo:

Como vocês podem ter percebido pela minha falta de ar em diversos momentos, o tour não é tão fácil para quem não está acostumado a atividades físicas mais puxadas (eu, por exemplo!). Princiapalmente na visita à Massada, como o tempo é muito curto para aproveitarmos lá, é preciso fazer bastante esforço para não conseguir subir antes do por do sol e descer a tempo de não perder o ônibus (caso você vá em um tour).

Ao invés de ter um guia local, o tour pelo mar morto e deserto de Israel da Abrahams Tour era guiado por um app. Pois é, também achei estranho. O tour era auto-guiado e os participantes deveriam baixar o aplicativo no celular e seguir as instruções dele durante as 3 paradas.

Para acompanhar o passeio da Abrahams Tour era preciso baixar um aplicativo
Para acompanhar o passeio da Abrahams Tour era preciso baixar um aplicativo

O tour foi um pouco salgado, tendo custado 280 shekels israelenses (em torno de 70 euros), principalmente quando convertemos para a moeda brasileira, em torno de 455 reais, não incluindo a entrada para Massada (31 shekels = 50 reais) e a entrada para Ein Gedi (29 shekels = 45 reais). Mas, como as paradas são bem isoladas e com difícil acesso por transporte público, recomendo fazer o passeio em um tour e não sozinho.

Como fiquei hospedado no Abraham’s Hostel em Tel-Aviv, comprei meu tour diretamente no local. Porém, é possível não ficar hospedado nos hostels da rede (há também Abraham’s Hostel em Jerusalém e Nazareth) e comprar diretamente no site da Abraham’s Tour.

Embora cansativo, valeu muito a pena me aventurar pelas paisagens do deserto de Israel!

paulinhobasile

Your comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *